segunda-feira, 2 de julho de 2012

Manifesto de Contracultura (@ K1z0mb4)


Álbum: Bonde do Baque torto

Eu to a fim de falar do movimento de contra cultura
Ouvindo funk ou o som do Sepultura
O que importa é sair do normal
Fugindo dos problemas dos paga-pau
Os baba-ovo...
De sangue novo...
Não é foda ta fudido, foda é fuder
Quem quer te fuder, fudendo bem legal,
Fudendo os paga-pau.

Eu to a fim de falar do movimento de contra cultura
Ouvindo funk ou o som do Sepultura
Num som de rap falo o alternativo
Que no meu consciente esta bem ativo.

Ouça a informação e guarde na cuca,
Não seja mais, um filho da puta. REFRÃO 1
Ouça a informação e guarde na cuca,
Não seja mais um, filho da puta.

Saiba qual é o teu espaço, saiba demarcar
E lute por ele caso queiram roubar.
Pensamentos são Criados ao ouvir a batida
Que contraria a toda sociedade corrompida.
Num som de rap falo o alternativo
Que no meu consciente esta bem ativo.

REFRÃO 1

Atenção, atenção quem me escuta,
Esta parte é destinada a filhos da puta
Que ficam a coçar o saco em cadeia nacional
E o pior é o povo achar tudo normal,
Ficam de quatro, ficam calado
Aceitam plenamente serem estuprado.
Não é foda ta fudido, foda é fuder
Quem quer te fuder, fudendo bem legal,
Fudendo os paga-pau.

Por isso veio o manifesto de contracultura
Que passo a vocês num toque arrastado REFRÃO 2
Falando do ferimento que não se cura,
Que é nosso desagradável estado.

O manifesto se desenvolve pra ver se modifica
O alienamento que o progresso complica
Então vou de cabeça na contra maré,
Não vou desistir nem dar a ré,
Prefiro continuar até o fim.
Foda-se! Quem estiver contra min
Importando apenas quem esta a favor
Aguentando a pressão toda essa dor
De ser marginalizado por uma sociedade
E ter de ficar se escondendo pelos cantos da cidade.

REFRÃO 1
REFRÃO 2

Modelo da Foto: Jorge Martin

Nenhum comentário:

Postar um comentário